terça-feira, 28 de setembro de 2010


Dizia-te: "Lês tanto que acabas por não aprender nada". Era esse tipo de frase o que mais te magoava. Ficavas calada, com medo que fosse verdade.
Fazes-me falta - Inês Pedrosa

Meu divã na Cozinha mudou, agora tudo esta no Vem cá Luísa...Me dá tua mão

segunda-feira, 27 de setembro de 2010


I'm not afraid to cry
Every once in a while even though goin on with you gone still upsets me...

What hurts the most - Rascal Flatts


Conheci na Antena 1, tava louca pra saber de quem era a música

Apagava e acendia o abajur entediada com a própria sorte, sentindo as fisgadas no peito quando lembrava que a única coisa que queria ouvir naquela tarde, é que ele tinha sentido tanta saudade quanto ela. Era inevitável o choro magoado, a raiva de si mesma, pela promessa tola feita todos os dias, após um romance tristonho que tivera, que nunca mais choraria por ninguém.
E não chorava por ele, ou por outros, chorava por si, frustada com seu carrossel de emoções. Foi ai que descobriu que nunca teria um amor perfeito, não que o desprezasse; é que os anos passados já bastavam pra faze-la desistir.

domingo, 26 de setembro de 2010


... mas todas as vezes que eu lembro do olhar e de sua expressão estagnada ao me ver, desisto de sentir saudades suas.

Meu Outono sempre se aproxima com melancolia.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010


Olhou com desprezo a imagem que via refletida no espelho. Eram seus olhos remelentos, sua cara amassada, seus cabelos bagunçados, seu mau halito matinal. Sempre fazia as mesmas coisas, repetidas vezes, sem nenhuma novidade todos os dias.
Tinha o habito de se olhar por oras, tirava a roupa, observando as mudanças que o tempo lhe trazia a medida que os dias passavam. Contava suas pintas, as cicatrizes, o molde que o corpo tinha ganho aos seus 21 anos. Assim ficava enquanto os outros dormiam, passando as horas, andando nua pela casa.
Somava as horas, os dias, os planos infindáveis. Já não acreditava em amores eternos, em juras desordenadas, em cartas febris, de papéis coloridos, de bilhetes perfumados. Seu orgulho já era maior que a saudade, engolia as lembranças, despejava por entre os livros que lia a sua shistórias de amores mal vividos.
Quantas luas como a que virá ontem, não tinha desejado ao lado dele, desejou Sois, estações, dias chuvosos, por que nada importava, nem os calores insuportáveis de agosto.
Sempre se sentia só, a medida que as músicas mais ternas soavam pelo fone do ouvido, vestindo-a de um vestido florido, olhando para o céu, de barriga pra cima, sorrindo ao vento, por que ele estava ao lado dela, de mão dadas. Desfrutando as horas esquecidas.
O procurava por entre os carros que passavam nas ruas, nas estações de trens, nas esquinas desconhecidas, e sempre o vira, com seus olhos míopes e sua barba mal feita; e na medida que aproximava via nada além mais que a miragem, sentia vertigem, os calor dos asfalto quente nos pés, que beliscavam seu rosto acordando-a.

Quando começa a ficar bom ou eu desconfio ou dou um passo para trás.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

.Scorpions.

Eles em Brasília, em sua última turnê. E eu mera mortal... na faculdade.
#putamerda

mamãe eu preciso ser rica!

terça-feira, 21 de setembro de 2010

.O gosto do não lido.


Sempre tinha julgado que morrer de amor não passava de uma liberdade poética. Naquela tarde, de regresso a casa outra vez sem o gato e sem ela, verifiquei que não só era possível morrer, mas que eu próprio, velho e sem ninguém, estava a morrer de amor.
Mas também me apercebi que era válida a verdade contrária: não teria trocado por nada do mundo as delícias do meu pesar. Tinha perdido mais de quinze anos tentando traduzir os cantos de Leopardi, e só naquela tarde os sento a fundo: Ai de mim, se é amor, quanto atormenta.

Memórias de Minhas Putas Tristes - Gabriel García Márquez

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Minha cara aos ver os trabalhos da faculdade.
Semana de trabalhos e provas... ferrada.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

quinta-feira, 16 de setembro de 2010


O nosso amor morreu... Quem o diria!
Quem o pensara mesmo ao ver-me tonta,
Ceguinha de te ver, sem ver a conta
Do tempo que passava, que fugia!

Bem estava a sentir que ele morria...
E outro clarão, ao longe, já desponta!
Um engano que morre... e logo aponta
A luz doutra miragem fugidia...

Eu bem sei, meu Amor, que pra viver
São precisos amores, pra morrer,
E são precisos sonhos pra partir.

E bem sei, meu Amor, que era preciso
Fazer do amor que parte o claro riso
De outro amor impossível que há-de vir!

Amor que morre - Florbela Espanca

Pra quem gosta de bons versos como eu.
Meu Divã é na Cozinha

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

.Tão lindo que dá saudade.

Sia - Colour the Small One

Ela tem uma voz doce e encantadora, recomendado para quem quer sentir saudade, mesmo do que não existiu.

As mais lindas? Breathe Me e a Moon.
Lindas de morrer.

terça-feira, 14 de setembro de 2010


O que há dentro do meu coração
Eu tenho guardado pra te dar
E todas as horas que o tempo
Tem pra me conceder
São tuas até morrer

E a tua história, eu não sei
Mas me diga só o que for bom
Um amor tão puro que ainda nem sabe
A força que tem
é teu e de mais ninguém

Te adoro em tudo, tudo, tudo
Quero mais que tudo, tudo, tudo
Te amar sem limites
Viver uma grande história

Aqui ou noutro lugar
Que pode ser feio ou bonito
Se nós estivermos juntos
Haverá um céu azul

Um amor puro
Não sabe a força que tem
Meu amor eu juro
Ser teu e de mais ninguém
Um amor puro

Um amor puro - Djavan

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

.Eleições 2010.


Particularmente não gosto de discussão sobre a política Brasileira. Me deprime.
Mas eu achei esse site bem interessante.
Quer saber quais os candidatos que possuem as mesmas ideias que você? Clique aqui

* Este sistema tem por objetivo calcular a afinidade política de suas ideias com os deputados do Congresso Nacional.
O cálculo de afinidade é baseado em modelos matemáticos, sendo isento de qualquer vínculo político ou partidário.
Utilize estas informações como um recurso adicional na escolha dos seus candidatos nas próximas eleições.*

É por essas e por tantas outras, que não dou meu voto, a qualquer um. Questão de opinião!

Este vídeo me chamou a atenção principalmente por não ser a expressão de uma tendência partidária.
É muito mais do que isto ... é uma questão de contexto social ... e como tal transcende às questões meramente partidárias e até às questões políticas, enquanto ciência. Por isso convido vocês a assistirem até o final, INDEPENDENTE DE SUAS CONVICÇÕES.


Eu vou estar com a consciência tranquila, em saber que a minha parte eu estou fazendo. Fico doente de raiva ao ouvir as pessoas falarem que não votam em alguns candidatos, por que acham que o outro já ganhou, mesmo que as opiniões sejam divergentes da sua.


quarta-feira, 8 de setembro de 2010


Fechando os olhos ainda podia ver a expressão ávida que tinha seus olhos cansados, atrás dos olhos de vidro que colocava no rosto para enxergar as placas da rua, do queixo apoiado nos punhos fechados, de como o tempo lhe cobrava os dias sem a menor piedade, as linhas finas de um sorriso que nunca negou.
O transito já não estava congestionado, passava das oito da noite. Ela tinha deixado o carro no acostamento e fez muito esforço pra não dar mais atenção aos faróis e buzinas, do que nele.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

.3 de Setembro de 2010.


Que dia lindo. dois meses de namoro. você formado. e eu feliz ao seu lado.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Minha nada mole vida...


E isso é apenas o começo.
Não sei se sorrio ou se choro.